Museu nos EUA é atração obrigatória para apaixonados por Mustang

Cinquenta e quatro anos após seu lançamento, o Mustang ainda é o queridinho entre qualquer admirador de carros quando o assunto são as máquinas clássicas e potentes – um “muscle car”, como esses veículos são conhecidos entre os apaixonados por velocidade.

São seis gerações que contaram com pequenas e grandes mudanças de design e de performance, mas que, ao longo dessa evolução, sempre mantiveram o carro entre os mais desejados por qualquer jovem recém-habilitado desde a metade dos anos 1960 – o primeiro Mustang foi lançado em abril de 1966 – até a atualidade. Afinal, quem é que negaria dirigir uma belezinha dessas?

E como sucesso não existe sem uma boa história e uma trajetória de respeito, o Mustang ganhou seu espaço no The Henry Ford Museum, um complexo histórico que fica na cidade de Dearborn, no estado norte-americano do Michigan, e que permite aos visitantes experimentarem a sensação de viver um dia em outro século.

Considerado o maior museu de história com áreas internas e externas dos EUA, o local tem 91 hectares de extensão e recebeu 1,8 milhão de visitantes somente em 2016, segundo relatório mais recente divulgado pela entidade. Como a história norte-americana é contada também por meio da evolução dos carros produzidos pelo país, esta é uma parada obrigatória no roteiro de qualquer amante de carros.

A exposição Driving America (Conduzindo a América, em tradução livre do inglês) reúne carros que entraram para a história – desde o original mais antigo que resistiu à passagem do tempo, o Ford Roper 1865, ao protótipo do Mustang I Roadster, fabricado em 1962, até o primeiro veículo híbrido da Ford, o Prius, lançado em 2002.

Todos ajudam a narrar como a inovação automotiva influenciou as vidas e a história do país, além de proporcionarem uma das mais impressionantes viagens no tempo.

Eles entraram para a história

A coleção ainda conta com carros que tiveram participação direta na construção política dos EUA: os veículos presidenciais. Lá está a Limousine Lincoln Continental onde o então presidente John F. Kennedy foi baleado e morto, em 22 de novembro de 1963. Após o trágico incidente, o carro foi reconstruído e usado posteriormente pelos presidente Lyndon B. Johnson e Richard Nixon.

Ainda focando na parte histórica dos carros, o museu também preserva o ônibus General Motors, onde a ativista Rosa Parks se negou a ceder seu lugar para um homem branco, em dezembro de 1955, durante o regime de segregação racial no estado do Alabama.

Além de abrigar partes importantes da inovação tecnológica dos EUA, o museu também conta com a vila Greenfield, que recria todo o cenário da época, das casas, comércios, meios de transporte e às pessoas – que, vestidas conforme os trajes típicos, contam histórias de antigos moradores e de como era viver naquele tempo. Para aumentar ainda mais a imersão, os visitantes ainda podem dar um passeio num Ford Modelo T original. Demais, não?

Para além de todo o valor histórico e cultural, o local ainda preserva uma relíquia curiosa: um tubo de ensaio com o último suspiro de Thomas Edison, inventor e cientista americano, que morreu em 1931, e que Henry Ford considerava seu grande herói.

Depois dessa verdadeira viagem no tempo cheia de referências históricas, ninguém pode dizer que carro não é cultura, não é mesmo? Gostou da ideia? Agora é só se planejar, fazer as malas e chegar cedinho para curtir essa aventura – o museu funciona todos os dias, das 9h30 às 17h.

O valor da experiência completa é de 75 dólares por pessoa – com descontos para idosos e crianças – e inclui os passeios pelo museu, vila temática, fábrica de automóveis da Ford e sessão num telão gigante com filmes sobre a história norte-americana.

Veja algumas fotos da exposição:

Roper 1865, carro movido a vapor

 

 

Mustang I Roadster 1962

 

 

Limousine do presidente John F. Kennedy

 

 

 

Versão restaurada do ônibus de Rosa Parks

Design e itens Ford

Você já parou para pensar como nasce um carro? Como ele é pensado, planejado, testado? A Ford decidiu mostrar aos seus consumidores todas as etapas envolvidas no planejamento e na criação de seus carros. Detalhadamente, eles mostram o passo a passo que a empresa realiza sempre que pretende lançar um novo modelo, com alguma tecnologia diferenciada, porém sempre utilizando o padrão personalizado da Ford.
Em 2016 a Ford promoveu uma iniciativa chamada “Ford Design Felling”, evento que foi realizado em São Paulo, na época, e que mostrou o processo de criação de seus carros globais, onde foi possível que pessoas comuns entendessem todo o planejamento, pesquisa e elaboração de esboços de um carro Ford.
Para que a ideia saia do papel, antes são necessários anos de pesquisas junto a consumidores de diferentes lugares e com diferentes perfis, para que o carro seja elaborado da melhor forma possível e atenda ao maior número de pessoas de acordo com suas reais necessidades e expectativas.

Processo de criação inicial

Antes do projeto ser iniciado, especialistas estudam todos os consumidores e fazem esboços de como poderia ser o novo modelo. (Foto: Divulgação)

A Ford busca a constante evolução na hora de desenvolver um automóvel. Sempre antenada com as novas tecnologias, a montadora procura desenvolver carros que atendam aos consumidores em beleza, potência, qualidade e segurança, sempre respeitando à sustentabilidade.
Para iniciar o design interior de um carro, por exemplo, a Ford precisa levar em consideração que o veículo poderá ser usado por pessoas bem diferentes fisicamente umas das outras. Umas com estatura mais baixa, outras mais altas, umas mais magras, outras mais gordas. Esse é o ponto de partida inicial quando se pensa em desenvolver um novo modelo de carro.
Quando a equipe de Marketing Estratégico finaliza os estudos e com os consumidores e define o público alvo, entra em ação a equipe de design.

Etapas e processos do design

Já com os estudos da equipe de marketing em mãos, os designers entram em cena para iniciar a execução do projeto. É nessa fase que são realizados os esboços, croquis e desenhos manuais e também as impressões em 3D, que utilizam argila plástica sintética, ou clay, espumas, tecidos, elementos químicos e tantos outros materiais para o desenvolvimento de um protótipo bem elaborado do novo modelo.
Juntando os materiais e ferramentas necessárias mais uma dose de criatividade, a equipe de design começa um trabalho mais avançado junto à equipe de modelagem, que darão a verdadeira forma ao projeto.
Os modeladores utilizam todos os materiais necessários para desenvolver e esculpir o novo modelo de veículo, sempre fazendo ajustes finos e de proporções com o auxílio e orientação de um designer do projeto.

Trajes de pesquisa de segurança

O uso dos trajes são essenciais na fase de testes do veículo, após o desenvolvimento do design completo. (Foto: Divulgação)

Após a realização do protótipo de argila, a Ford também mostrou seus trajes especiais: o traje de gravidez, o de terceira idade, o de embriaguez e o das drogas.
As roupas foram criadas para a realização de testes, que visam atender às necessidades desses quatro tipos de pessoas que poderão vir a dirigir o carro. Nesses casos são estudadas novas medidas de segurança para evitar qualquer tipo de acidente de transito por negligência do motorista ou também do próprio veículo.

Traje de gravidez

No traje de gravidez, por exemplo, são adicionados aproximadamente 13kg ao usuário, para que ele sinta como seria dirigir um automóvel estando fisicamente limitado para tal ação. Para torná-lo ainda mais real, o traje é desenvolvido com acessórios que simulam a cabeça e o corpo do feto, bem como uma bolsa de água de uns 2 litros.

Traje de terceira idade

Para a realização dos testes para usuários idosos, a Ford desenvolveu um traje que reduz a capacidade do usuário de se locomover, mostrando claramente às dificuldades e limitações físicas de uma pessoa da terceira idade na hora de dirigir o carro. Dentre os acessórios que compõem o traje especial, estão uma cinta de cotovelo e suspensórios que reduzem a articulação de cotovelos e joelhos do usuário, o que torna muito mais difícil ficar em pé ou se movimentar rapidamente dentro do veículo.
Além das articulações, o traje conta com uma luva sem dedos, que diminui a força para segurar ou apertar qualquer objeto e também conta com pesos nos pés e simulam a dificuldade para apertar os pedais e óculos que reduzem a visão, pois existem muitos idosos que possuem problemas de vista, desde os mais simples até os mais avançados, como a glaucoma, por exemplo.

Traje do motorista embriagado

Esse traje foi desenvolvido para a realização de testes e simula os perigos de quando um usuário está dirigindo alcoolizado. Para deixar a sensação de se estar dirigindo embriagado mais realista, o traje conta com um tapa-orelhas, que dificulta e retarda a audição, óculos escuros que o deixam com dificuldades para enxergar, além de mostrar imagens avulsas e irreais que podem aparecer durante a direção, por conta do alto nível de álcool no sangue. Há também uma limitação nos movimentos que afeta a coordenação, a força e o equilíbrio que são feitas devido o uso de bandagens especiais em cada ponto do corpo como o pescoço, tornozelos e pulso.

Traje de usuários de drogas

O traje de testes para usuários de drogas é bem parecido com o de usuário alcoolizado. Além das dificuldades de se movimentar e concentrar, ele consiste em mais um acessório que é o óculos com luzes que piscam, simulando os efeitos de algumas drogas mais comuns como a cocaína, a maconha, a heroína, o LSD e o ecstasy, que podem afetar a mente, a visão e a percepção do usuário, tornando-o um risco no volante para si mesmo e também para os outros, assim como o alcoolizado.

O uso dos trajes em fases de testes dos carros é estritamente necessário para garantir a segurança, o conforto e a mobilidade do automóvel para diferentes tipos de pessoas e situações. Claro que o recomendado é que uma pessoa que tenha bebido ou usado alguma substância química não dirija, porém sabemos que essa realidade não está no nosso controle 24 horas por dia. Por causa disso, a Ford realizou pesquisas no mundo todo e descobriram que mais de 74% das pessoas, geralmente jovens e do gênero masculino, já dirigiram alcoolizadas ou viram alguém fazer o mesmo.

Ford confirma Mustang e F-150 em versões híbridas

Todos os anos, enquanto alguns estão se preparando para o Réveillon em Las Vegas, outros estão no centro de convenções da cidade dos pecados montando a CES, maior evento de tecnologia do mundo. O evento começa de fato no próximo dia 5, mas a Ford já fez um anúncio de peso: a empresa norte-americana prometeu nada menos que 7 modelos de baixa emissão, entre eles versões híbridas do Mustang híbrido, picape F-150 e da Transit, além de um SUV inédito totalmente elétrico.

Ao todo, a montadora norte-americana confirmou 7 modelos, de um total de 13, que devem chegar às lojas nos próximos cinco anos. Embora os truculentos Mustang e F-150 híbridos sejam temas polêmicos, o anuncio mais significativo foi o inédito SUV compacto totalmente elétrico que “não é nada igual ao que fazemos hoje”, disse o porta-voz da montadora durante a apresentação. Ele chegará em 2020 e promete uma autonomia de 482 quilômetros, o que equivale a 300 milhas. O modelo será vendido na América do Norte, Europa e Ásia.

Ford lança série de vídeos curtos do Mustang 2018 nas redes sociais

Para celebrar a proximidade do lançamento oficial do Mustang 2018 no país, anunciado no final de 2017, a Ford criou uma série de vídeos curtos semanais para demonstrar as principais características do esportivo para o público nas redes sociais. O primeiro da série foi ao ar hoje nos canais da marca no Instagram (https://www.instagram.com/fordbrasil/) e no Facebook (https://www.facebook.com/FordBrasil/).

Com nove segundos de duração, o vídeo mostra o esportivo em um ambiente escuro, com destaque para seus faróis acendendo e para o ronco do motor, como se o veículo possuísse vida própria.

A primeira aparição oficial do Mustang no Brasil ocorreu no dia 29 de novembro e foi comandada pelo ator Rodrigo Lombardi no Jockey Clube de São Paulo. Esportivo mais vendido do mundo, o modelo está chegando ao Brasil pela primeira vez após 50 anos de história no mercado.

Sobre a Ford Motor Company Brasil
A Ford Motor Company está estabelecida no Brasil desde 1919 e conta com uma estrutura de 11.500 empregados e quatro fábricas, além do Campo de Provas de Tatuí. Suas marcas automotivas incluem a Ford, a Ford Caminhões e a Troller. Para obter mais informações sobre os produtos da Ford, acesse http://www.ford.com.br.

Sobre a Ford Motor Company
A Ford Motor Company é uma empresa líder da indústria automotiva global, com sede em Dearborn, Michigan, nos Estados Unidos. Fabrica ou distribui automóveis em seis continentes, com cerca de 194.000 empregados e 66 fábricas no mundo. Suas marcas automotivas incluem a Ford e a Lincoln. A empresa fornece serviços financeiros através da Ford Motor Credit Company. Para obter mais informações sobre os produtos da Ford, acesse www.corporate.ford.com .

Ford Mustang dispara na liderança do segmento de esportivos em fase de pré-venda

O modelo fechou mais um mês á frente do segmento, com quase o dobro das vendas somadas dos concorrentes

O Ford Mustang fechou mais um mês na liderança do segmento de carros esportivos e esportivos premium em fevereiro. Desde a abertura do programa de pré-venda, em meados de dezembro, o modelo agora passa de 200 unidades comercializadas, o equivalente a cerca do dobro da somatória de todos os concorrentes da categoria no mesmo período. Nesse grupo estão incluídos modelos como Camaro, Mercedez-Benz AMG e SLC, BMW M6, Audi TT e Porsche 911.

A pré-venda do Mustang continua até o final de março, com um sistema de atendimento exclusivo feito por meio do site www.mustangford.com.br e nos distribuidores da marca. Oferecido na versão GT Premium, topo de linha, o esportivo tem preço de lançamento de R$299.900 e a reserva é feita com o pagamento de 10% desse valor. As primeiras unidades começam a ser entregues aos proprietários no Brasil no final deste mês.

Esse resultado é comemorado pela marca, que criou um processo diferenciado para a comercialização do modelo e também reservou um presente especial para os compradores do primeiro lote: um capacete de edição limitada assinado pelo piloto Dan Gurney, lenda do automobilismo.

“O Mustang tem encontrado uma grande aceitação entre os consumidores brasileiros, mostrando a força da sua marca”, diz Fernando Pfeiffer, gerente de Produto da Ford. “Mais que isso, os fãs vão se surpreender com o desempenho e conteúdo de inovação que ele traz na nova geração.”

Entre as novidades, estão o painel configurável de 12 polegadas totalmente digital, o sistema eletrônico de preaquecimento dos pneus traseiros (Line Lock) e a central multimídia SYNC 3. Ele também vem com faróis e lanternas de LED, acesso inteligente por sensor, botão de partida e tecnologias avançadas de assistência ao motorista. As rodas de 19 polegadas e o aerofólio traseiro destacam a sua esportividade.

O desempenho do Mustang GT é um capítulo à parte, com o poderoso motor V8 5.0 de 466 cv e transmissão automática de 10 velocidades com opção de trocas no volante. “O Mustang é um ícone de esportividade e liberdade, que desperta entusiasmo e emoção em todas as partes do mundo. O Brasil agora estará oficialmente integrado a esse grupo”, completa Pfeiffer.

Ford Mustang vende mais que o dobro dos esportivos concorrentes no pré-lançamento

O Ford Mustang superou as expectativas e vendeu mais que o dobro da soma de todos os carros esportivos e esportivos premium europeus no Brasil em dezembro.

Este foi o primeiro mês de pré-venda do modelo, feita por meio de inscrição pelo site www.mustangford.com.br ou nos distribuidores da marca, com  preço de R$299.900 e entrega a partir de março.

O Ford Mustang superou as expectativas e vendeu mais que o dobro da soma de todos os carros esportivos e esportivos premium europeus no Brasil em dezembro. Este foi o primeiro mês de pré-venda do modelo, feita por meio de inscrição pelo site www.mustangford.com.br ou nos distribuidores da marca, com  preço de R$299.900 e entrega a partir de março.

Apesar de as reservas terem sido iniciadas somente no dia 11, o Mustang fechou o mês com mais que o dobro de pedidos confirmados que as 47 unidades somadas dos concorrentes Porsche 911, Audi TT, Mercedez SLC, BMW M6 e Camaro.  Em virtude desse resultado, a Ford está disponibilizando um lote adicional de pré-venda do esportivo com previsão de chegada ao Brasil ainda no final de março deste ano.

“O Mustang é um produto que tem atributos racionais de sobra para justificar o seu sucesso, como o propulsor V8 de 466 cv, mas também tem uma conexão emocional muito forte que só ele desperta nos entusiastas de carros esportivos no Brasil e no mundo”, diz Antonio Baltar Jr., diretor de Marketing, Vendas e Serviços da Ford.

Para o lançamento do Mustang a marca desenvolveu um processo de compra exclusivo que adota o mesmo conceito de produtos de luxo, com atendimento personalizado e confirmação da reserva feita com o pagamento de um sinal correspondente a 10% do valor do carro. Como parte do objetivo de proporcionar uma experiência de compra diferenciada, todas as etapas são acompanhadas por meio de um “concierge”.

Sobre a Ford Motor Company Brasil

A Ford Motor Company está estabelecida no Brasil desde 1919 e conta com uma estrutura de 11.500 empregados e quatro fábricas, além do Campo de Provas de Tatuí. Suas marcas automotivas incluem a Ford, a Ford Caminhões e a Troller. Para obter mais informações sobre os produtos da Ford, acesse http://www.ford.com.br.

Sobre a Ford Motor Company

A Ford Motor Company é uma empresa líder da indústria automotiva global, com sede em Dearborn, Michigan, nos Estados Unidos. Fabrica ou distribui automóveis em seis continentes, com cerca de 194.000 empregados e 66 fábricas no mundo. Suas marcas automotivas incluem a Ford e a Lincoln. A empresa fornece serviços financeiros através da Ford Motor Credit Company. Para obter mais informações sobre os produtos da Ford, acesse www.corporate.ford.com .

Mais invocado, Ford Mustang 2018 é revelado

A Ford apresentou nesta terça-feira (17) o primeiro facelift da sexta geração do Mustang, cerca de dois anos e meio após seu lançamento. Além de uma nítida mudança no design – representado especialmente pela dianteira mais invocada –, há um rearranjo da gama de motores com (infelizmente) a aposentadoria do motor 3.7 V6…

De cara é possível ver uma frente intimidadora – e é isso o que queremos deste mítico pony car. Os faróis são novos (mais afilados), o para-choque foi redesenhado e a grade dianteira cresceu. O capô esté 20 mm mais baixo. A traseira ganhou lanternas em formato de ‘C’ ainda mais acentuado, agregando personalidade. O difusor também ficou mais ‘bombado’, ganhando protagonismo junto com as quatro ponteiras da saída dupla de escape. Mudanças pontuais, mas refinadas.

Por dentro as mudanças também aconteceram de maneira cirúrgica e de muito bom gosto. Destaque para o painel de instrumentos, que passa a ganhar uma opção de cluster digital em tela de TFT  – algo mais moderno, mas que não substitui o charme dos leitores analógicos, que continuam sendo ofertados. E a central multimídia Sync 3.

 

MECÂNICA

Fim da linha para o motor 3.7 V6. E o motivo é simples: vendas! As configurações com ‘coração’ de seis ‘canecos’ não estavam entregando os números esperados nas concessionárias. Com isso ficam apenas as opções 2.3 Ecoboost (turbo e de quatro cilindros) e a intocável 5.0 V8. Esta última não apenas foi mantida, mas também retrabalhada, ganhando injeção direta de combustível e aumentando a taxa de compressão (yes!), de acordo com informações da Ford. No entanto, dados sobre potência, torque ou mesmo performance (aceleração de 0 a 100 km/h ou velocidade máxima) estão sob sigilo, ainda.

Outra novidade é a adoção de uma nova transmissão automática de 10 marchas para o 5.0 V8, substituindo a anterior de apenas seis velocidades. A proposta é clara: dar mais agilidade ao Mustang em marchas mais baixas e gerar uma certa ‘economia de combustível’ – se é que isso existe quando estamos falando deste ‘horse’ – em engrenagens mais elevadas. O câmbio manual de seis marchas continua sendo ofertado também, mas passa a contar com embreagem de disco duplo.

Ainda segundo a fabricante, toda a parte de suspensão – especialmente a personalidade dos amortecedores – foi retrabalhada em prol de uma rigidez ainda maior.

Ah! E só para avisar, é com esta cara nova e este conjunto mecânico afinado é que o Ford Mustang desembarcará oficialmente no Brasil em 2018, como a própria marca anunciou no Salão do Automóvel de São Paulo do ano passado. E este 2017 que não acaba…

Segundo Ford Mustang da história será leiloado.

O segundo Mustang fabricado pela Ford, que também é o primeiro da história a trazer capota rígida (o primeiro é um conversível), irá a leilão em maio em Indianapolis, no estado norte-americano de Indiana. A expecativa é que ele seja vendido por até US$ 600 mil (cerca de R$ 1,8 milhão na conversão direta).

Trata-se da unidade com número de série 00002 de um universo de mais de 9 milhões de Mustangs já fabricados nesses 53 anos desde o lançamento do “pony car”,no longínquo ano de 1964. O primeiro exemplar está exposto no museu da Henry Ford em Detroit, Michigan.

O exemplar 00002 traz pintura azul escura e foi produzido em pré-série, o que faz dele ainda mais raro. O carro saiu da linha de montagem e foi enviado a uma concessionária Ford na cidade de Whitehorse, no estado de Yukon, no Canadá, onde permaneceu no showroom até ser vendido, em 1965.

Desde então, até hoje o Mustang teve 14 donos e o atual proprietário, Bob Fria, comprou o cupê em 1997 e o restaurou de acordo com as especificações originais, em um trabalho que levou dois anos para ser concluído. O modelo conta com motor 2.8 de seis cilindros. A restauração deixou em perfeitas condições o interior revestido de vinil azul.

Considerando a importância histórica e o excelente estado de conservação, o Mustang azul esteve exposto na sede da Ford durante as comemorações do centenário da marca, em 2003.

https://www.slavierobsb.com.br/wp-content/themes/slaviero