10 principais segredos para manutenção do carro seminovo

É muito comum alguém acreditar que a palavra seminovo para carros é uma maneira gentil de chamar um carro velho de usado, porém não tão desgastado. Tem gente até que pensa que é um apelido de amigo, que não chamaria nunca seu veículo guerreiro e companheiro de aventuras de usado, velho, velhote, capenga, lata velha.
Brincadeiras à parte, antes de te contarmos os principais segredos para manter seu carro seminovo impecável gastando pouco nas revisões e manutenções, vamos explicar que existe sim diferenças entre o carro novo, seminovo e usado. Talvez você já saiba disso, mas não é papo de vendedor de carros, é verídico.
Um carro novo apenas é NOVO quando está na concessionária zeradinho, sem nunca ter dado uma volta pelas ruas da cidade. Ele é 0 km e saiu da montadora da Ford para você ser o seu único e fiel escudeiro. A partir do momento que você compra e começa suas aventuras, ele se torna um seminovo. Os carros seminovos possui uma vida útil excelente e podem ser considerados seminovos por mais três anos de uso, com pelo menos 20 mil quilômetros rodados a cada ano. Passado este tempo, ou até mesmo de número na quilometragem, podemos finalmente chamar um carro de usado. Mas calma que um carro usado não é tão ruim assim!
Carros usados são aquelas que já rodaram por mais de 3 anos ou acima de 60 mil quilômetros, geralmente tiveram mais de um dono e já caíram com valor no mercado de automóveis, uma boa parcela desde sua saída da concessionária ou dos seus primeiros anos de estrada. Porém, é preciso não julgar o carro por sua aparência nunca. As vezes ele parece um seminovo por ter uma excelente conservação externa, mas as peças já estão gastas e nunca foram trocadas. Também existe uma outra possibilidade: o carro pode ser usado há mais de 3 anos, mas o dono dele foi tão cuidadoso que já fez troca de peças originais e o veículo está admirável.
Tendo em vista essas informações, agora vamos falar dos 10 segredos para manter o seu seminovo um espetáculo. Pronto? Vamos listar.
 

1.     Mantenha uma boa aparência externa e também interna

Com certeza você já ouviu aquela expressão: “a primeira impressão é sempre a que fica”. Então, para os carros ela também serve. Manter uma lataria bem pintada, bem encerada, sem nenhum arranhão, e até investir em vitrificação, super valoriza o seu carro. Manter ele perfeito por dentro sempre se preocupando com limpezas nos bancos, chão, acessórios bem cuidados, um cheiro agradável para todos que entram, tudo isso mantém seu veículo com altos pontos para possíveis compradores. Até porque vai ter uma hora que você vai desejar vendê-lo, e conservar é a melhor maneira de ter um retorno de investimento certo.

2. Barulho e ruído só se forem do acelerador do motor e do coração

Se o carro faz alguns ruídos ou aqueles barulhos incômodos de alguma coisa metálica solta aqui ou ali, pode ter certeza que algo não está certo. Além de ser horrível dirigir um carro cheio de batuques, quando seu veículo apresenta esses sinais é porque ele está precisando de reparos. Portanto, não hesite em levar o automóvel para uma revisão.

3. Equilíbrio no balanceamento e alinhamento do carro

Esses dois fatores são primordiais para manter a vida útil do automóvel. Além de ser muito importante para sua segurança e das pessoas que te acompanham nas estradas, manter um carro bem alinhado e bem balanceado desgasta menos os pneus e os componentes do sistema de suspensão. Um carro bem balanceado não apresenta tremulações quando você roda acima de 60 km por hora. Se o seu apresenta esses sinais, está na hora de levar o veículo para a manutenção.

4. Faça rodízio de pneus com frequência

O legal do rodízio de pneus é que ele faz com que os itens se desgastem de forma uniforme. Também é recomendado que o estepe faça parte deste procedimento. Cada modelo de carro possui um manual de instruções para rodízio e os diferentes tipos de pneus devem ser trocados em tempos e de maneira diferentes. Os radiais, por exemplo, devem ser trocados a cada 8 mil quilômetros rodados, já os pneus diagonais devem ser trocados geralmente a cada 5 mil quilômetros.

5. Dê importância para as palhetas limpadoras

Sim, ter um carro é se preocupar com os mínimos detalhes e as palhetas limpadoras de vidro são desses que a gente esquece às vezes, mas não deveríamos. Com o calor excessivo e com o tempo, elas ressecam e precisam ser trocadas. Se você percebeu que tem sido difícil usar os pára-brisas para dirigir na chuva, limpar o vidro ou até ouve aqueles barulhos incômodos, está na hora de trocar a borracha do acessório.

6. Pastilhas de freio sempre em dia

Essas belezinhas são responsáveis para o seu freio funcionar com perfeição. Portanto, sem dúvida alguma, é essencial manter o seu carro com pastilhas novas e funcionais e prestar atenção em detalhes que lhe dirão qual é a hora de trocá-las. Levar seu carro na manutenção em dia já te poupará de se preocupar com isso, mas caso antes mesmo do prazo você ouça ruídos ao acionar o freio ou se o óleo estiver abaixo do nível normal, isso significa que a pastilha já está gasta.

7. Não espere a vela do barco carro parar de funcionar

vela do carro deve ser trocada no tempo certo indicado por cada montadora e é uma peça que por mais que pareça que está funcionando perfeitamente, se este prazo for extrapolado, troque mesmo assim. Não podemos deixar para trocar a vela apenas se ela apresentar mau funcionamento, isso pode afetar diretamente a segurança do seu carro.

8. Fique de olho no óleo

Essa dica todo mundo já sabe, mas não custa nada falar de novo para reforçar. Para evitar problemas nas peças e manter o resfriamento e funcionamento perfeito do seu motor, nunca deixe de trocar o óleo no tempo indicado por cada fabricante. Ele vai garantir a vida útil do seu seminovo sem a menor dúvida.

9. Revise sempre a correia

correia sincroniza o eixo de comando das válvulas ao virabrequim, liga essas duas partes do motor e garante seu funcionamento. A dica de toda montadora de carros é que essa correia seja trocada a cada 6 meses ou a cada 10 mil quilômetros rodados. Não espere ela quebrar, isso pode causar danos e prejuízos a outros componentes do carro.

10.  Troque o filtro junto com o óleo

Os filtros são os caras responsáveis por reter as impurezas criadas pela combustão e lubrificar o motor do seu carro. O recomendado por todos nós é que você sempre troque o filtro a cada troca de óleo. Nem sempre apenas trocar óleo vai garantir o bom funcionamento do motor e ter um filtro gasto pode trazer danos à diversas peças do carro.
Essas foram as 10 dicas e segredos que todo bom dono de carro, seja novo, seminovo ou usado precisa sempre ter em mente para manter a integridade e bom funcionamento do seu fiel veículo. Lembre-se sempre que cuidar do carro com frequência e se preocupar com seus dias futuros, garantem sempre o retorno do investimento da melhor maneira possível. E se precisar de mais ajustes, dicas e revisões, a nossa equipe está te esperando nas concessionárias Slaviero!

Qual o prazo para levar meu carro para a revisão?

Imagine a cena: você na estrada, viajando para algum lugar com sua família ou amigos quando de repente o carro começa a apresentar alguns problemas e vocês não tem a quem recorrer no momento e estão longe de qualquer posto de gasolina ou mecânico. É algo que ninguém gostaria de presenciar, não é mesmo?
Para evitar essa e outras situações, é recomendado que os motoristas criem o hábito de levarem seus carros para uma revisão completa, tanto para o uso do veículo no dia a dia quanto para longas viagens, que exigem que o carro esteja “em forma” e bem preparado para enfrentar a distância que precisará percorrer sem apresentar maiores problemas.
Para te ajudar a cuidar do seu carro sem ser ludibriado, alguns pontos são cruciais na hora da revisão. Veja abaixo alguns tópicos a serem avaliados e evite qualquer tipo de problema no seu veículo:

Cuidados diários

Cuide do seu carro diariamente para evitar problemas mais graves e complicados (Foto: Reprodução / Internet)

Com a correria do dia a dia, muitas pessoas se esquecem de dar uma atenção maior ao seu veículo. Porém, muitos não se atentam de que esse é o ponto principal para ajudar a evitar que o seu carro precise de manutenção a todo momento.
Os cuidados diários são comuns, porém demandam um certo tempo e por essa razão quase nunca são devidamente averiguados como deveriam. Antes de sair com o carro o motorista deve prestar atenção no nível do óleo do motor, para ver se está correto, calibrar os pneus, fazer testes com os faróis, luzes de ré e freio e setas, que mostram se o veículo está em condições básicas para seguir viagem, tanto para perto, quanto para longe.

Revisão

A necessidade de fazer a revisão de um carro pode variar de acordo com seu ano, seu fabricante e seu modelo. Porém, apesar de diferentes, cada automóvel deve passar por uma revisão geral pelo menos duas vezes ao ano, de seis em seis meses, para sermos mais exatos. Essas revisões ajudam a prevenir maiores problemas como a quebra de algum componente importante ou até mesmo a parada total do veículo.
Caso o carro fique parado por um bom tempo e você decida usá-lo em algum fim de semana para ir até o interior da cidade, por exemplo, é necessário que uma revisão seja feita antes. Nesse check-up, o mecânico analisará o bom funcionamento do seu carro e se o mesmo está apto para seguir viagem. Caso algum problema seja identificado, ele o orientará referente a manutenção do automóvel.

Manutenção

A falta de manutenção no seu veículo pode levar à quebra de peças essenciais ou até mesmo a parada total do veículo na pista (Foto: Reprodução / Internet)

Quando compramos um carro, devemos estar cientes de todos os possíveis gastos que ele poderá nos dar. Além do valor do veículo em si, da gasolina, seguro e IPVA, precisamos nos preparar para os gastos com a manutenção do veículo.
Assim como uma pessoa, que gasta com as idas ao médico, remédios e, em alguns casos, até com cirurgias mais detalhadas, os automóveis também necessitam ser averiguados assim que apresentarem qualquer tipo de problema.
Nessa etapa é necessário que o motorista esteja disposto a pagar a quantidade necessária em um mecânico de sua confiança para que ele possa fazer a manutenção do carro de forma segura e completa, evitando que maiores problemas venham a aparecer no futuro.

Tipos de revisão

As peças do carro se desgastam naturalmente. Isso é algo que infelizmente não poderá ser evitado. Mais cedo ou mais tarde seu automóvel poderá lhe apresentar alguns problemas – uns mais comuns, outros mais complicados -, porém, se o motorista estiver disposto a levá-lo para a revisão e manutenção, tudo correrá bem e os próximos gastos podem vir a demorar.
Cuidando para que o carro esteja em perfeitas condições, existem três tipos de revisão muito comuns para cada automóvel, a revisão corretiva, a preditiva e a preventiva. Conheça um pouco sobre cada uma delas:

Revisão Corretiva

A revisão corretiva acontece quando uma peça do seu carro está quebrada ou danificada, precisando ser imediatamente substituída ou arrumada.
Ex: Quando os freios estão ruins ou o farol está queimado. São pontos que não passam desapercebidos e precisam de uma atenção maior.

Revisão Preditiva

Diferentemente da corretiva, a revisão preditiva acontece quando o mecânico analisa a fundo o seu veículo e assim decide se determinada peça precisa mesmo de uma troca ou poderá aguentar por mais algum tempo.
Ex: Se você levar seu carro a um mecânico para que ele avalie seus amortecedores, o mesmo poderá afirmar que a troca não é necessária naquele momento, podendo esperar mais algum tempo. Porém, em outros casos, o profissional poderá avaliar a situação e constatar que a substituição deve ser feita, pois já se desgastou o suficiente.

Revisão Preventiva

A revisão preventiva aparece quando alguma peça do carro demonstra um certo desgaste. Essa medida é tomada de acordo com o auxílio do mecânico e da percepção do motorista, que pode optar ou não por fazer a troca de determinada peça que já está desgastada e que em breve poderá apresentar maiores problemas.
Ex: Alguns itens como calibração e troca de pneus, filtro e troca de óleo, velas de ignição, correia dentada, fluído de freio, filtro de ar, entre outros são alguns dos problemas mais comuns que aparecem nas revisões dos automóveis. Se não forem substituídos no tempo certo, é provável que eles apresentem problemas maiores, elevando os gastos na manutenção do carro.

Por fim, vale voltar ao início do texto, quando falamos sobre os cuidados básicos para com o carro e os cuidados diários, que ajudam a evitar o desgaste precoce de alguns desses itens citados acima e problemas mais agravantes que podem surgir a partir de cada um deles, se forem ignorados.

https://www.slavierobsb.com.br/wp-content/themes/slaviero